PROCON dá dicas para evitar ser enganado na Black Friday

Publicado por departamento de Jornalismo Cruzeiro FM 92,3 em 21/11/2017

Na sexta-feira (24) será realizada a Black Friday, dia em que comerciantes baixam o preço dos produtos com intuito de alavancar as vendas e aquecer a economia. Porém é preciso ficar atento em algumas situações. A data já se tornou uma das mais esperadas do mercado brasileiro desde 2010, porém ano a ano, os fornecedores tentam superar a má fama que gerou o apelido de “black fraude”.
Vale lembrar, que desde setembro até o começo de novembro, o Procon de Sorocaba fiscalizou diversas lojas da cidade, analisando os preços de mais de 30 produtos, fim de evitar que a promoção seja uma fraude da Black Friday. Segundo o Diretor do PROCON Sorocaba, Dr. Laerte Molleta, um dos principais problemas durante este período é a “falsa promoção”, ocasião em que o fornecedor aumenta o preço dos produtos semanas antes da Black Friday para anunciá-los com valor mais baixo na data da promoção, ou seja, o valor ofertado na realidade é o mesmo ou superior a aquele praticado meses antes.
Para não ser enganado, o consumidor precisa tomar algumas precauções. O PROCON lista algumas dicas:
– Faça um planejamento listando os produtos que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto para não estourar o orçamento;
– Verifique se o site é brasileiro, ou seja, “.com.br”. Compras em sites internacionais estão sujeitas a outros custos que nem sempre são informados de forma clara e precisa. Além disso, o Código de Defesa do Consumidor não se aplica se o site não tiver representantes no Brasil.
– Verifique a reputação dos fornecedores, para tanto, a Fundação PROCON-SP, em seu site, mantém o ranking das empresas mais reclamadas.
– Fique atento ao prazo de entrega, principalmente se o objetivo for comprar presentes para o Natal.
– Em casos de compras feitas fora do estabelecimento comercial (internet, telefone, a domicílio) o consumidor tem sete dias a partir da compra/entrega para “se arrepender”, cancelar a compra, devolver o produto e pedir a devolução do valor pago.
– Verifique antecipadamente a política de troca do fornecedor.
– Consulte a lista de sites não recomendados, veiculada junto ao site da Fundação PROCON-SP. Essa listagem é uma relação de sites que devem ser evitados, pois tiveram reclamações de consumidores registradas junto ao PROCON, foram notificados, não responderam ou não foram encontrados.
– Cuidado ao clicar em links e ofertas recebidos por e-mail ou redes sociais. Consulte sempre a página oficial da loja.
-O consumidor deve salvar ou imprimir todas as telas navegadas para efetuar a compra, as folhas de contratação, em especial as que falam do preço, forma de pagamento, características do produto e previsão de data para entrega, além, é claro, de exigir a nota fiscal, o principal documento em caso de reclamação.

Comentários

Você está ouvindo

Cruzeiro FM 92,3 Mhz

A número 1 em jornalismo